Letras do CD "Ileaô"

ILEAÔ


1. Ilê, Ileaô (PJMP-Natal)

Letra: Pe. Antônio Murilo de Paiva – Música e Interpretação: Ismael Alves - Vocal: Carla e Minréis - Viola e violão: Jailton Alves - Percussão: Minréis

Ilê, Ilê, Ilê, Ilê, Ileaô / PJMP é você / O terreiro, o tempero / Pra juntar no Meio Popular!
Ilê, Ilê, Ilê, Ilê, Ileaô / Casa é você / Em iorubá é acolhida / Pra lutar no Meio Popular!
Ilê, Ilê, Ilê, Ilê, Ileaô / Jovem é você / Construindo a vida / Pra amar no Meio Popular!

 

2. ILEAÔ - Hino da PJMP

Letra: Roberto Malvezzi e Produção coletiva - Música: Roberto Malvezzi - Interpretação: Ceicinha - Vocal: Elaine e Pe. Murilo - Teclado: Geraldo Marcelino - Sax e violino: Kefrém Lemoel - Trombone: Marcos Aragão - Trumpete: Minréis

ILEAÔ, ILEAÔ / A JUVENTUDE É A BANDEIRA DO AMOR!
COM O CORAÇÃO, COM AS DUAS MÃOS / COM TODO O POVO A GENTE FAZ UM MUNDO NOVO!

Pelos campos, cidades e vilas / No trabalho ou então desempregados / Nas caatingas, nas fábricas, nas filas
Com muita força e coragem de lutar / É a juventude do Meio Popular.

Somos filhos de trabalhadores / A nossa classe é a classe popular / Mas temos sonhos e também muitos amores
Também queremos trabalhar, participar / É a juventude do Meio Popular.

Nossa luta é pelo engajamento / No nosso bairro e também no sindicato / Nós precisamos ficar todos unidos
Pra conquistar nosso direito que é negado / É a juventude do Meio Popular.

A política partidária é outra coisa / Que não pode ser deixada de lado / Nós precisamos mudar esse sistema
Que faz o pobre viver sempre massacrado / É a juventude do Meio Popular.

Nossa força quem nos dá é Jesus Cristo / Que nos empurra e ilumina o caminho / Pois ele é o nosso companheiro
Que pelos pobres sempre tem muito carinho / É a juventude do Meio Popular.

 

3. NOSSO JEITO DE VIVER (PJMP - Açu/RN)

Letra, Música e Interpretação: Milton Guilherme Ramos - Teclado e programação MDI: Elson

É JUVENTUDE, Ô Ô, É JUVENTUDE, Ê, Ê! / NOSSA ALEGRIA, NOSSO JEITO DE VIVER
É JUVENTUDE, Ô, Ô, É JUVENTUDE, Ê, Ê! / A NOSSA HISTÓRIA SÓ DEPENDE DE VOCÊ.

Nós somos jovens, queremos fraternidade / Queremos vida e terra pra ter o pão /
Somos semente espalhadas pela terra / A água viva que brota deste chão.

Nós somos frutos dessa tal sociedade / Que causa morte, injustiça e opressão
Somos imagem do Deus vivo que na história / Se faz memória e nos conduz à Redenção.

Construiremos uma nova humanidade / Onde o amor seja o faz princípio universal
Precisaremos unir as nossas forças / Para combater toda injustiça e todo o mal.

Nossa esperança de amor e justiça / Se concretiza na história, pode crer
Pois Jesus Cristo está conosco nesta luta / Ele é o modelo pra PJMP.

 

4. A LAMPARINA (CEB'S São Luis/MA)

Letra e Música: Pe. Jocy Neves Rodrigues - Interpretação: Ceicinha - Vocal: Minréis - Teclado: Geraldo Marcelino - Baixo: Ivonaldo da Silva - Flauta: Carlos Zens - Contra Baixo: Luciano

NÃO DEIXE A LAMPARINA APAGAR (BIS) / POIS NINGUÉM SABE A HORA QUE O NOIVO VAI CHEGAR (BIS)

Saíram prum casamento dez muito lindas meninas / Levando nas mãos acesas, dez formosas lamparinas
Saíram pra fazer parte de um cortejo bem solene / Mas como eram descuidadas não levaram querosene.

A noite foi escurecendo, o noivo foi demorando / As meninas se assentaram pela estrada cochilando
Mas quando deu meia-noite só se ouviu foi a zuada / Era o noivo que chegava e a lamparina apagada.

As meninas cuidadosas acenderam as lamparinas / Mas não tinha querosene nas das cinco outras meninas
Pediram emprestado às outras e chorando suplicaram / Mas com medo que faltasse prontamente lhes negaram.

Com a lamparina apagada sem saber o que fazer / Foram bater pelas portas procurando a quem vender
Mas outras foram com o noivo entraram e a porta fechou / A festa começou logo e a turma sem luz sobrou.

As cinco quando chegaram, bateram pedindo entrada / O noivo não quis conversa com aquela turma atrasada
Disse que nem conhecia as cinco que estavam fora / Precisa estar preparado pois ninguém sabe da hora.

 

5. NUNCA MAIS (PJMP-Goiânia)

Letra, Música: Pe. Francisco Prim - Interpretação: Pe. Francisco Prim e Ana Rita - Teclados e Violão: Siralberto Pontes - Bateria e Baixo: Eduardo Mariano

Solidariedade, AIDS nunca mais (2X)

Eu, quero dizer pra todo mundo / Que eu e você somos livres / Eu, quero dizer para o Cazuza / Que ele ainda vive, vive.

Abaixe os óculos reconcebidos / Eu quero dar e receber amor (2x) / Quero que a vida seja vivida / Eu quero ver o fim de toda dor (4x)

Mesmo correndo riscos nesta vida / Temos que ter coragem / Uh!, sentido de nossa existência / É a nossa liberdade, liberdade.

Solidariedade, AIDS nunca mais.

 

6. ACORDA, JUVENTUDE (PJMP-Iguatu/CE)

Letra e Música: Cícero Benícios de Oliveira - Interpretação: Navegante e Minréis - Teclado: Geraldo Marcelino - Baixo: Luciano Dantas - Guitarra: Ivonaldo Silva

Chegou a hora de soltarmos a voz / E esse canto cantarmos todos nós / Cantemos viva, viva a juventude
Que só quer ter o direito de viver / Não mais patrão nem senhores de engenhos / Nem ditadura para calar a voz
À juventude do meio popular / Cantemos viva, viva pra todos nós

LÊ, LÊ, LÊ, LÊ Ô (bis) / LÊ, LÊ, LÊ, LÊ A / NÓS SOMOS JOVENS DO MEIO POPULAR (BIS)

Em passos lentos, a semente juventude / Brilha tão forte nas constelações / Em sindicatos, partidos, prefeituras
Pois lida dura é vencer o dragão / Juventude, tua presença incomoda / Nas altas rodas dos sistemas sociais
Pois ser profeta, denunciar mentiras / Desse projeto que escraviza mais e mais

Que a mãe terra guarde os nossos jovens / Que a tirania brutalmente assassinou / E que a lua os sirva de vela
E que seu sangue alimente a linda flor / Façam vigílias e abracem a aurora / Cantem agora o mais bonito refrão
E que seus gritos se espalhem pelos campos / E que as rosas possam vencer os canhões

Acorda, juventude / É hora de acordar / Juntemos corações pra num só peito pulsar / Dança, juventude é hora de sambar / Pisa sobre a dor pra fazer o amor brilhar

 

7. LUA DEGRADÊ NA JANELA (PJMP-Natal)

Letra: Pe. Antônio Murilo de Paiva - Música e Interpretação: Ismael Alves - Teclado, guitarra e programação MDI: Elson

Degradê, contemplei a lua / Do tamanho da janela do quarto / Bonita, grande e linda / Parece que na sua serenidade / Vai elevando os homens e as mulheres

Degradê contemplei teu coração / Do tamanho da lua da janela do quarto / Bonito, grande e lindo / Bem maior ainda / Parece que na transfiguração / Carregou as dores das crianças de rua

Degradê contemplei os fios de alta tensão / Cantando no quarto a lua / Imensos, grandes quase sem fim / Parece que vai arrebentando / O coração dos homens e das mulheres daqui

Degradê, contemplei a irreverência da lua / Iluminando toda a noite das salinas / Bateu no sal, bateu na água / Chegou na taipa e no palácio / Mas só vista pelo olhos poéticos da janela

Degradê, grande e linda / Degradê, grande e lindo / Degradê contemplei os fios de alta tensão...

 

8. TERRA MÃE (PJMP-Caruaru/PE)

Letra e Música: Júlio Silva - Interpretação: Minréis e Geraldo Marcelino - Teclado: Geraldo Marcelino - Violino: Quefrém Lemoel

TERRA MÃE, TERRA AMIGA / ONDE AS PLANTAS FRUTIFICAM (BIS)

Vejo a terra que o meu bom Deus criou / Para todos cultivá-la com amor / O inimigo destruiu a nossa terra / O seu ódio foi que fez nascer a guerra / Terra mãe

Onde o homem vai tirar o seu sustento / Onde as plantas faz brotar o alimento / Mulher e homem derramando o seu suor / Para que a terra fique bem melhor / Terra mãe

Terra onde Deus criou os animais / Terra onde Deus criou todos iguais / Terra mãe

 

9. ARDE O FOGO NO MEIO POPULAR (PJMP Natal)

Letra: Pe. Antônio Murilo de Paiva - Música e Interpretação: Ismael Alves - Violão: Jailton Alves - Piano: Geraldo Marcelino - Vocal: Carla

PJMP embalando meu coração / vai fogo, luz, incêndio / passando de mão em mão: misturação
luta não posso, não podemos fugir / conflito, mística, animação / oficina, experimento diário do amor...
Arde o fogo nos amados de Deus!

 

10. MÃOS À OBRA E PÉ NA ESTRADA (PJMP Apucarana/PR)

Letra, Música e Interpretação: Júnior - Vocal: Maria Helena, Cleide Irene, Maria de Lourdes e Waldemir - Violão: Maria Helena e Sebastião Júnior - Atabaque: Waldemir

EI, COMPANHEIRO, CHEGA MAIS / VAMOS FALAR DA NOSSA VIDA, NOSSA HISTÓRIA (BIS)

Vamos falar do companheiro Jesus Cristo, / Nosso irmão e amigo presente na caminhada,
Ele é a vida, a verdade e o caminho, / Trata os pobres com carinho, / Amor é sua palavra.

"Pra" todos terem "o de comer" / Todos terem "o de beber" / Há muito o que caminhar / Mãos à obra, pé na estrada / Nossa missão é pesada; / A ordem é partilhar.

Vendo nosso povo aflito; / Desempregado e sofrido / A gente tem que protestar / Eleger gente da gente,
Um operário presidente / Assim a coisa vai mudar.

E como um vento que bate; / Revirando a cidade, / Vai ser a revolução / Sou PJMP a vida toda,
Pode crer, eu não arredo o passo não!

 

11. PJMP: PRESENÇA VIVA EM SÃO PAULO

Letra, Música, Violão e Interpretação: Fábio Moreira - Arranjos, cavaquinho e vocal: Rodrigo Maravilha - Tantã, pandeiro e vocal: Isael Alcides (Feijão) - Surdo e vocal: Jefferson Uveda (Jé) - Percussão geral e vocal: Alessandro Luís (Nenê)

A juventude paulista / Cansada, sofrida se organizou / Unida no sonho de Cristo / De um mundo de paz, de justiça e de amor / Atuar no movimento, no partido e na comunidade / É o nosso objetivo para transformar nossa realidade.

PASTORAL DA JUVENTUDE DO MEIO POPULAR / PRESENTE TAMBÉM EM SÃO PAULO
PRO POVO DE DEUS TER VOZ, VEZ E LUGAR (BIS)

Nas periferias, nos campos / Onde houver opressão / Com a força do Espírito Santo / Combatemos a exploração
O sonho não acabou / Vamos lutar com ternura e com raça / Na luta contra a injustiça / Nós jovens somos fermentos na massa.

Se você que vir com a gente / Tem que trazer a bandeira do amor / Pra fazer a liberdade / Brotar da terra feito linda flor / Nós trazemos a esperança / De que a miséria e a exclusão vão ter fim / Quem é nosso companheiro
Não vai ter vergonha de cantar assim

 

12. MENINA MOÇA (PJMP Iguatu/CE)

Letra e Música: Cícero Benícios de Oliveira - Interpretação: Navegante e Minréis - Teclado: Geraldo Marcelino - Guitarra: Gilvânio Pinheiro

Veja, a menina se fez moça, companheiro / Como uma rosa que desabrochou / Rosa do jardim dos sonhos / Que o vento mais forte pra longe levou / E a rosa deu semente, meu irmão / Que alguém pegou e logo semeou / Todo o Brasil agora colhe frutos / E esse canto, cantemos com ardor.

É PRA VALER, É PRA LUTAR / ESTAMOS JUNTOS, VAMOS COMEMORAR
É PRA VALER, É PRA LUTAR / A JUVENTUDE SUA CARA VAI MOSTRAR.

São muitos anos nessa luta, meu irmão / Mais uma vitória que o jovem alcançou / São muitos anos, essa luta é pra valer / A nossa cara é PJMP / Cidade e campo estão organizados / Nessa jornada do Meio Popular / Passam por crises mas nunca desanimam / Faz da PJMP o seu lugar

Como uma rosa teima em brotar nos espinhos / A juventude teima em brigar com o patrão / Que traz morte, escraviza e assassina / Mas resistimos diante de tanta opressão / Pois existimos diante de tanta miséria / O nosso Deus é de justiça e de amor / É Deus de rezas, de tantos nomes e cores / O nosso guia é Jesus Libertador.

 

13. UM OLHAR SOBRE O PAÍS (Parnamirim/RN)

Letra, Música e Interpretação: Ismael Alves - Violão e Viola de 12 cordas: Jailton Alves - Percussão: Minréis - Zabumba: Geraldo Marcelino

LÁ, LÊ, LÊ, LÊ, LÊ, LÊ, LÊ, (3X)

Um olhar sobre o país / Com a luz da sapiência / Se descobre a alogia / O descaso e a ciência / Dos doutores do engano / Versados na eloquência (bis)

Poucos vislumbram clemência / O mercado é o senhor / Dos santos neoliberais / Cultores do dissabor / Arcanjos da hipocrisia / Serviçais de um vil mentor (bis)

Terra de homem lutador / Meu país vira um saara / Uma índia assim sem casta / Um mal que cresce não pára
Um grande grito de dor / E um povo que perde a cara (bis)

Uma pátria assim tão rara / Celeiro pra todo mundo / Só com uma reforma agrária / Desmatam o caos mais profundo / Só o despertar da gente / Deixa esse poço sem fundo (bis)

Meu país terceiro mundo / Quanta gente a admirar / Sonhando com o que não pode / Sem emprego, sem perdoar / Mas podendo entrar no sonho / Que pode tudo mudar (bis)

O plano de além mar / É manter escrava gente / Nessa nação um vergel / E o poder tão indolente / 500 anos de peia / E cantando brava gente (bis)

LÁ, LÊ, LÊ, LÊ, LÊ, LÊ, LÊ, (3x)

 

14. CADÊ MINHA GRAVATA (PJMP - Curitiba/PR)

Letra, Música e Interpretação: Tony Bonfá - Guitarra: Tony Bonfá - Guitarra solo: Marcos Ubiratã - Sax: Nelsom Serrato

Cadê minha gravata (4x) / Candidatos, favor se apresentar / Munidos de documentos / Retrato três por quatro,

Preto e branco, colorido / Eu tô com fome, tô perdido / Número de dependentes? / Nenhum, nenhum / Ninguém pode depender

De um desempregado / Quantos anos você tem? / Você é novo demais / Ou já passou da idade / Enquanto isso engonçado (bis).

Que língua você fala? / Que carro você tem? / Qual é a tua escola? / Tá na rua ou na Febem? (bis)

Corte no salário, tô roubado, / Eu trabalho como um gado / Pra ganhar nenhum vintém (bis) / Tô comendo meus problemas

Tô comendo indigestão / Tô comendo desemprego / Tô comendo aflição / Tô comendo meus problemas / Tô comendo indigestão

Tô comendo desemprego / Tô comendo inflação / É tipo hiena (bis) / E minha vida não ingrena (bis)

Pra eles eu não tô com nada (bis) / Mas eles se enganam (bis) / Deixe está / Dez por cento da população

Numa tremenda regalia / Enquanto o resto ninguém auxilia / Dê emprego pro seu povo (4x), / Pelo amor de Deus.

 

15. RAP DA PJMP (PJMP Goiânia)

Letra e Música: Jadiel Sousa - Interpretação: Jadiel Sousa e Márcio Rodrigues - Teclados e Violão: Siralberto Pontes - Bateria e baixo: Eduardo Mariano

MAIS QUE UMA SIGLA EU VOU MOSTRAR PRA VOCÊ, / AGORA EU SOU DA LUTA, SOU PJMP (BIS)!

Quero está em todo lugar / Trabalho, escola, movimento popular, / Associação, sindicato e outros mais
Florescendo a vida e proclamando a paz

Engajado na história sem desanimar / Se quer mudar o mundo / Comece a andar
Não vamos parar vendo tudo acontecer / Pra mudar as nossas vidas precisamos de você

Amando descobri como é ruim ficar sozinho / Abrace seu irmão dê um pouco de carinho
Lutando pela vida estarei até morrer / O que corre em minhas veias é PJMP

 

16. COMO PEDRAS VIVAS (PJMP Camocim de São Félix/PE)

Letra e Música: Frei Alberto e Gustavo Vila Verde - Interpretação: Carla e Minréis - Teclado: Geraldo Marcelino - Flauta: Carlos Zens - Contra-baixo: Luciano Bezerra

E Vamos chegando de longe, de perto / Dos bairros, dos centros / Das cidades, dos campos / Como pedras vivas!

E vamos chegando, caindo, levantando, / Construindo e nos transformando / Trabalhando e rezando / Como pedras vivas!

E fomos chegando, como um povo profeta / Caminhando e proclamando, / Exercitando a desafiante missão / Como pedras vivas!

E fomos chegando, buscando e sofrendo / Com a tarefa árdua de ser fraterno, / Paciente e compassivo / Como pedras vivas!

 

17. ARDE O FOGO NO MEIO POPULAR (PJMP Natal)

Letra: Pe. Antônio Murilo de Paiva - Voz: Ana Paula de Oliveira Dias - Teclado: Geraldo Marcelino - Violão: Jailton Alves

Arde o fogo no meu coração! / Fogo que nos aquece / dentro da minha vida / no centro do meu eu / Ah! esse fogo: brilha com vigor / faz meu corpo caminhar / luz do meu olhar em todos os momentos / Arde o fogo no meu coração!

Fogo que nos aquece / você me faz viver / luz, que luz da nossa vida / eu e você meu companheiro de caminhada / você é luz, você é fogo, você me faz / preciso de você companheira irmã. / Arde o fogo no nosso coração!

Fogo que nos aquece / energia eterna de toda hora / uma dor, paixão terna do meu embalo / meus passos entre as pedras ou espinhos / dentro de nós luz do meu olhar / meu Deus centro iluminador, vigor. / Arde o fogo no meu coração!

PJMP uma entre outras luzes / reflexo da luz que brilha / empobrecido temos essa consciência / energia do vigor juvenil / combustível do meu viver / fogueira, luta, chama acesa no meio popular. / Arde o fogo no meio popular!

PJMP embalando meu coração / vai fogo, luz, incêndio / passando de mão em mão: misturação / luta não posso, não podemos fugir / conflito, mística, animação / oficina, experimento diário do amor... / Arde o fogo nos amados de Deus!

Luz na oficina do viver / luz, um produto do meu calor / luz, um fogo, o meu no teu peito / luz que dá sentido: existir
luz do roçado, acalentando o teu abraço / calor, fogo, fogueira, luz, clarão, iluminação. / Arde Deus encarnado no centro do nosso embaraço: coração!

 

18. Ilê, Ileaô (PJMP Natal)

Letra: Pe. Antônio Murilo de Paiva - Música: Minréis e Geraldo Marcelino - Interpretação: Carla e Minréis - Percussão: Minréis - Teclado: Geraldo Marcelino

Ilê, Ilê, Ilê, Ilê, Ileaô

PJMP é você / O terreiro, o tempero / Pra juntar no Meio Popular!